O pragmatismo e a poéta da vida: os desafios da arte-educação no Brasil

O pragmatismo e a poéta da vida: os desafios da arte-educação no Brasil

Contenido principal del artículo

Juliana de Conti Macedo

Resumen

A necessidade de olhar a educação através de uma perspectiva artística que possa desenvolver a sensibilidade das pessoas e, consequentemente, torná-las mais conscientes de si e de sua realidade é o objetivo deste artigo. Para tanto, a pesquisa defende uma causa esquecida e desprezada pela sociedade atual: o fortalecimento do elemento poético na vivência cotidiana versus o excesso de um pensamento pragmático. Amparados na tese do pedagogo João Francisco Duarte (1999), cuja ideia principal consiste na defesa da “educação através da arte”, buscaremos refl etir sobre o pensamento poético, a dimensão sensível (estética) do homem frente ao processo brutal de racionalização do conhecimento, ao qual chamaremos com Duarte (1999) de pragmática.A pesquisa se justifi ca por ser preocupante o inexpressível espaço que a Arte e todas as suas linguagens ocupam no currículo das instituições escolares no Brasil.Para alcançarmos os nossos objetivos, realizamos um estudo de natureza qualitativa e apontamos as bases em que foi fundado o ensino das artes na escola, revelando que a própria atividade artística, implantada no ensino brasileiro, foi submetida aos valores pragmáticos, impossibilitando a germinação de uma visão poética dentro das salas de aula.

Palabras clave:

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Detalles del artículo

Biografía del autor/a (VER)

Juliana de Conti Macedo, Universidade Federal de Ouro Preto

Mestre em Educação na linha de pesquisa: instituição escolar, formação e profi ssão docente pela Universidade Federal de Ouro Preto, graduada em Licenciatura em Artes Cênicas pela Universidade Federal de Ouro Preto, especialista em Docência do Ensino Superior pela Faculdade Vale Piranga, MG. Professora de Arte efetiva na rede municipal de Ouro Preto. Participa do Grupo de Pesquisa Formação e Profi ssão Docente da UFOP.

Referencias (VER)

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda e MARTINS, Maria Helena Pires. Filosofando: Introdução à fi losofi a. São Paulo: Editora Moderna, 1995.

ARTAUD, Antonin. O Teatro e seu Duplo. São Paulo: Martins Fontes Editora, 1999.

BARBOSA, Ana Mae T.B. Arte-Educação no Brasil. São Paulo: Perspectiva – Secretaria da Cultura, Ciência e Tecnologia, 1978.

BARBOSA, Waldemar de Almeida. O Congado no Oeste Mineiro. Revista Brasileira de Folclore. Ano V Nº11 Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Cultura. Janeiro/Abril de 1965.

BUBER, Martin. Sobre a Comunidade. São Paulo: Editora Perspectiva, 1987.

CHAUI, Marilene. Filosofi a: Novo Ensino Médio. São Paulo, Editora Átila, 2002.

DUARTE, João Francisco. Fundamentos Estéticos da Educação. Campinas: Papirus Editora, 1999.

DUARTE, João Francisco. Por que arte-educação? Campinas, SP: Papirus, 1991.

GULLAR, Ferreira. Vanguarda e subdesenvolvimento: ensaios sobre a arte.Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1984.

Parâmetros Curriculares Nacionais. 5ª a 8ª séries: ARTE. Brasília: Ministério da Educação e do Desporto-Secretária de Educação Fundamental, 1998.

SALVADOR, A.D.. Cultura e educação Brasileira. Petrópolis: Vozes, 1971.