Foucault e o marxismo

Foucault e o marxismo

Contenido principal del artículo

Kelin Valeirão

Resumen

 

 O presente artigo busca (re)apresentar o filósofo francês Paul-Michel Foucault, partindo do pressuposto de que o pensamento deste é, em boa parte, fruto de discussões e lutas teóricas com Karl Heinrich Marx e, principalmente, com o marxismo. Num primeiro momento, defendemos que Foucault fez uso das ideias de Marx, tendo-o como influência sobretudo durante a sua curta passagem pelo Partido Comunista. Num segundo momento, expomos alguns dos impasses com o marxismo e com o pensamento de diferentes pensadores e militantes, ditos marxistas. Por fim, parece-nos que Marx e Foucault não são filósofos para todas as estações. Embora seja sabido que o pensamento de ambos foi e é utilizado em longa escala, eles não servem para tudo! O pensamento de Foucault demonstra uma visão cristalina acerca da diferença existente entre a pessoa Marx e seu pensamento, o marxismo e os marxistas. Talvez daí venha o espanto de Foucault ao perceber que desde o início foi considerado um inimigo pelos marxistas.

 

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Detalles del artículo

Biografía del autor/a (VER)

Kelin Valeirão, Universidade Federal de Pelotas

Professora Adjunta do Departamento de Filosofia da Universidade Federal de Pelotas.

Referencias (VER)

BOBBIO, Norberto. Nem com Marx, nem contra Marx, São Paulo, Editora UNESP, 2006.

CASTRO, Edgardo. Vocabulário Foucault: um percurso pelos seus temas, conceitos e autores, Belo Horizonte, Autêntica Editora, 2009.

DIAS, Sousa. Grandeza de Marx: por uma política do impossível, Lisboa, Assírio & Alvim, 2011.

ERIBON, Didier. Michel Foucault, 1926-1984, São Paulo, Companhia das Letras, 1990.

FOUCAULT, Michel. “A armadilha de Vincennes”, en MOTTA, Manuel Barros da (comps.) Arte, Epistemologia, Filosofia e História da Medicina, Rio de Janeiro, Forense Universitária, 2011.

FOUCAULT, Michel. “Entrevista sobre a Prisão: o livro e o seu método”, en MOTTA, Manuel Barros da (comps.) Estratégia, Poder-Saber, Rio de Janeiro, Forense Universitária, 2006.

FOUCAULT, Michel. O Uso dos Prazeres, Rio de Janeiro, Edições Graal, 1984.

HARDT, Michael. “O comum no comunismo”, en Revista Imprópria: política e pensamento crítico, Lisboa, UNIPOP, 2012.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A ideologia Alemã: teses sobre Feuerbach, São Paulo, Editora Moraes Ltda, 1987.

RAJCHMAN, John. Foucault: A liberdade da Filosofia, Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor, 1987.

ROUANET, Sérgio Paulo. “A gramática do Homicídio”, en FOUCAULT, M.; ROUANET, S. P.; MERQUIOR, J. G; LECOURT, D; ESCOBAR, C. H. (comps.) O Homem e o Discurso: A Arqueologia de Michel Foucault, Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro, 1996.

VEYNE, Paul. Como se escreve a história; Foucault revoluciona a história, Brasília, Editora Universidade de Brasília, 1998.

Citado por: