A guerra do Paraguai e a construção da imagem de uma voluntária da pátria: o caso Jovita Alves Feitosa (1865-1867)

The Paraguayan war and the construction of the image of a war volunteer: The case of Jovita Alves Feitosa (1865-1867)

Contenido principal del artículo

Johny Santana de Araújo

Resumen

O presente artigo pretende mostrar como em meados de 1865, o presidente da Província do Piauí Franklin Américo de Meneses Dória auxiliado pelos jornais atuou no sentido de construir uma imagem de heroína da voluntária Jovita Alves Feitosa, a fim de promover o alistamento de homens para as forças armadas do Império do Brasil em guerra contra a República do Paraguai. Procuramos compreender por meio da análise documental, dos periódicos da época, de um texto biográfico escrito em sua homenagem, e com auxílio de uma bibliografia, sobre como ocorreu sua incorporação ao Exército, qual a atuação dos jornais na época, e como se deu a sua viagem até a Corte no Rio de Janeiro. Foi possível perceber como efetivamente a intensa propaganda construída em torno da voluntária conseguiu dividir a sociedade da época, se colocando a favor e contra o seu alistamento ao tempo em que paradoxalmente os mesmos jornais acabariam explorando a notícia de sua morte, ocorrida no ano de 1867 por questões passionais, dois anos após a sua apoteótica chegada ao Rio de Janeiro.

Palabras clave:

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Detalles del artículo

Biografía del autor/a (VER)

Johny Santana de Araújo, Universidade Federal do Piauí UFPI Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro IHGB - Brasil

Doutor em História Social, publicaciones: «O jornal Publicador Maranhense e a construção da guerra do Paraguai 1865-1868». Revista Outros Tempos; «A batalha de Cuito Cuanavale 1987-1988: A guerra pela sua memória». Revista Tempo e Argumento; «Festa na Província do Piauí: o retorno do Corpo de Voluntários da Pátria da Guerra do Paraguai em 1870». Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. johny@ufpi.edu.br. https://orcid.org/0000-0003-3082-1785.

Referencias (VER)

Fontes Primarias

«A heroína brazileira». A Imprensa, Teresina PI, 16 de setembro de 1865.

«Alguém censurou». A Imprensa, Teresina PI, 28 de outubro de 1865.

«A Moderação». A Imprensa, Teresina PI, 11 de novembro de 1865.

«Suicidou-se». A Imprensa, Teresina PI, 16 de novembro de 1867.

«Marquês de Olinda». Liga e Progresso, Teresina, PI, 31 de janeiro de 1865.

«Bravos do Piauí! Orgulhai-vos». O Paiz, de São Luís MA, 25 agosto de 1865.

«A Voluntaria». Publicador Maranhense, São Luís MA, 25 de agosto de 1865.

«A maior novidade». Diário da Bahia, Salvador BA, 5 de setembro de 1865.

Um Patriota. «Patriotismo». Correio Mercantil, Rio de Janeiro 12 de setembro de 1865.

«Notícias diversas». Correio Mercantil, Rio de Janeiro, 14 de setembro de 1865.

«A heroína brasileira». Jornal do Commercio, Rio de Janeiro, 14 de setembro de 1865.

«Jovita». Correio Mercantil, Rio de Janeiro, 11 de outubro de 1867.

«Jovita, ou a voluntária da Morte». Diário do Povo, Rio de Janeiro, 27 de outubro de 1867.

«Os maranhenses fizeram a essa patriota». Diário do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 10 de setembro de 1865.

«Teatro de São Pedro de Alcântara». Diário do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 12 de setembro de 1865.

«Suicídio». Diário do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 11 de outubro de 1867.

Um também pobre. «Publicações a pedido». Diário do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 12 de outubro de 1867.

O, Justo. «Um grito de reprovação a nova especulação». Jornal do Commercio, Rio de Janeiro, 15 de setembro de 1865.

«Suicídio». Jornal do Commercio, Rio de Janeiro 11 de outubro de 1867.

Documentos impressos e manuscritos

Decretos, leis e documentos oficiais.

Decreto 3.371/1865 de 7 de janeiro de 1865, Coleção de Leis do Império do Brasil, 5 v. 1 pt I.

Relatório do Ministério de Estado dos Negócios da Guerra do Império do Brasil de 1864.

Relatório do Ministério da Repartição dos Negócios Estrangeiros do Império do Brasil de 1871A - Anexo I, Tratado de Alliança Offensiva e Defensiva entre o Brasil e as Repúblicas Argentina e Oriental do Uruguay contra o governo do Paraguay.

Manuscritos

Arquivo do Instituto Histórico E Geográfico Brasileiro (IHGB), Rio de Janeiro – Brasil. Coleção Barão do Loreto. Coleção Senador Nabuco.

Fontes Secundarias

Alambert, Francisco. «Civilização e barbárie, história e cultura - representações literárias e projeções da Guerra do Paraguai nas crises do segundo Reinado e da Primeira República».

Guerra do Paraguai: 130 anos depois. 2. Ed., editado por Maria Eduarda Castro Magalhães Marques. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1995.

Bandeira, Luiz Alberto Moniz. A expansão do Brasil e a formação dos Estados na Bacia do Prata: Argentina, Uruguai e Paraguai (Da colonização à Guerra da Tríplice Aliança) Império. 4. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012.

Baratta, María Victoria. La Guerra del Paraguay y la construcción de la identidad nacional. Buenos Aires: Editorial SB, 2019.

Barbosa, Marialva. História cultural da imprensa. Brasil 1800-1900. Rio de Janeiro: Mauad X, 2010.

Becker, Jean-Jacques, «A opinião pública». In Por uma história política. 2. ed., editado por René Remond. Rio de Janeiro: UFRJ/FGV, 2003.

Brito, Anísio. Contribuição do Piauí a Guerra do Paraguai. Teresina: Comepi, 1931.

Calmon, Pedro. Franklin Dória. Barão de Loreto. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 1981.

Carvalho, José Murilo de. D. Pedro II. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

Castro, Jeanne Berrance de. A milícia cidadã: a Guarda Nacional de 1831 a 1850. São Paulo: Brasiliana, 1977.

Cerqueira, Dionísio. Reminiscência da Campanha do Paraguai. 1865-1870. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 1980.

Chaves, Joaquim. O Piauí na Guerra do Paraguai. Cadernos Históricos, n° 4. Teresina: Academia Piauiense de Letras, 1971.

Costa, Francisco Felix Pereira da. História da Guerra do Brasil contra as Repúblicas do Uruguai e Paraguay. Rio de Janeiro: Livraria de A. G. Guimarães & C. 1870. v. 2.

Doratioto, Francisco Fernando M. Maldita guerra: nova história da Guerra do Paraguai. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

Dourado, Maria Teresa Garritano. Senhoras comuns, senhoras respeitáveis: a presença feminina na Guerra do Paraguai. Campo Grande: Ed. UFMS, 2005.

Duarte, Paulo de Queiroz. Os voluntários da Pátria na Guerra do Paraguai. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 1981.

Fragoso, Augusto T. História da guerra entre a Tríplice Aliança e o Paraguai. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 2009. 5 v.

Galvão, Walnice Nogueira. A donzela-guerreira: um estudo de gênero. São Paulo: Senac, 1998.

Góes, Damião de. Traços biográficos da heroína brasileira Jovita Alves Feitosa: ex-sargento do 2° Corpo de Voluntários do Piauí, natural do Ceará – por um fluminense. Rio de Janeiro: Tipografia Imparcial de Brito & Irmão, 1865.

Graham, Richard. Clientelismo e política no Brasil do século XIX. Rio de Janeiro: UFRJ, 1997.

Ginzburg, Carlo. A microhistoria e outros ensaios. Lisboa: Difel, 1989.

Johansson, María Lucrecia. La gran máquina de publicida de: Redes transnacionales e intercambios periodísticos durante la guerra de la Triple Alianza (1864-1870). Sevilla: Universidad

Internacional de Andalucía. 2017.

Maestri, Mário. «A guerra contra o Paraguai: História e Historiografia: da instauração à restauração historiográfica [1871-2002]». Nuevo Mundo Mundos Nuevos, Colloques, 1 (2009): 1-29. Doi: https://doi.org/10.4000/nuevomundo.55579. DOI: https://doi.org/10.4000/nuevomundo.55579

Martins, Ana Luiza; Lucca, Tania Regina de. História da Imprensa no Brasil. São Paulo: Contexto, 2008.

Mendes, Fabio Faria. Recrutamento militar e construção do Estado no Brasil Imperial. Belo Horizonte: Argvmentvm, 2010.

Morel, Marco; Barros, Mariana Monteiro de. Palavra, imagem e poder: o surgimento da imprensa no Brasil do século XIX. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

Moura, Denise. «A farda do tendeiro: cotidiano e recrutamento no Império». Revista de História Regional vol. 4, nº 1 (1999).

Mugge, Miqueias H. «Antes do mito: Soldados-cidadãos da Guarda Nacional do Rio Grande do Sul (1850-1873)». Varia História vol. 34, nº 64 (2018): 123-164. Doi: https://doi.org/10.1590/0104-87752018000100005. DOI: https://doi.org/10.1590/0104-87752018000100005

Pinheiro, Celso. História da imprensa no Piauí. 3. ed. Teresina: Zodíaco, 1997.

Queiroz, Teresinha de J. M. Economia piauiense: da pecuária ao extrativismo. Teresina: EDUFPI, 1998.

Richard, Nicolas, Luc Capdevila, y Capucine Boidin, ed. Les guerres du Paraguay aux XIXe XXe siècles. París: Colibris, 2007.

Saldanha, Flávio Henrique Dias. «“Deus é grande, mas o mato é ainda maior”: o recrutamento militar no Brasil imperial». Locus. Revista de História vol. 16, nº 2 (2010): 175-201. https://locus.ufjf.emnuvens.com.br/locus/article/viewFile/1058/901.

Schwarcz, Lilia Moritz. As barbas do imperador: D. Pedro II, um monarca nos trópicos. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

Silveira, Mauro César. «Os múltiplos papéis do jornalismo brasileiro na guerra contra o Paraguai». Historiæ vol. 5, nº 1 (2014): 213-236.

Squinelo, Ana Paula. A Guerra do Paraguai, essa desconhecida...: ensino, memória e história de um conflito secular. Campo Grande: UCDB, 2002.

Squinelo, Ana Paula, org. 150 anos após - a Guerra do Paraguai: entreolhares do Brasil, Paraguai, Argentina e Uruguai. Campo Grande: Ed. UFMS, 2016, Vol. I, II. DOI: https://doi.org/10.4025/dialogos.v19i3.1136

Soares, Pedro Paulo. «A guerra da imagem: iconografia da Guerra do Paraguai na imprensa ilustrada fluminense». Dissertação Mestrado em História. Rio de Janeiro: Instituto de Filosofia

e Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), 2003.

Taunay, Alfredo d’Escragnolle. Memórias. São Paulo: Melhoramentos, 1946.

Whigham, Thomas. The Paraguayan War: causes and early conduct, 2nd edition. Calgary: University of Calgary Press, 2018. DOI: https://doi.org/10.2307/j.ctv6gqs51

Citado por: