Planejamento do ensino de Filosofia: entre a normatividade e a prática pedagógica

Contenido principal del artículo

Autores

Marcio Danelon
Mauro Sérgio Santos da Silva

Resumen

Este artigo tem por objetivo investigar as relações e interfaces entre as políticas públicas para o ensino de Filosofia e as práticas do professor de Filosofia nas escolas de ensino médio. Objetivamos, notadamente, analisar três documentos reguladores do ensino de Filosofia, a saber, as Orientações Curriculares Nacionais de Filosofia (Ministério da Educação), o Currículo Básico Comum de Filosofia (Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais) e as Diretrizes Gerais da Disciplina de Filosofia (Universidade Federal de Uberlândia), observando as influências desses documentos no plano de ensino dos professores de filosofia das escolas públicas da região de Uberlândia/Minas Gerais. Assim, queremos saber em qual instância esses documentos oficiais administram as práticas pedagógicas dos professores de filosofia. Para isso, a metodologia empregada foi a pesquisa bibliográfica e documental que nos permitiu chegar a conclusão de que há um excesso de documentos reguladores do ensino de filosofia no Estado de Minas Gerais

Palabras clave:

Detalles del artículo

Licencia

Creative Commons License
Esta obra está bajo licencia internacional Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0.

Los autores deben presentar los artículos de acuerdo con las normas de publicación de la revista.

Los derechos del artículo están sujetos a la Licencia de Creative Commons (CC BY-NC-SA), por lo tanto se permite su uso y difusión, siempre y cuando se realice la citación de los autores y la revista, y no se use para fines comerciales. Los derechos de los artículos publicados le corresponden a la revista.

Los autores aceptan la licencia de uso utilizada por Cuestiones de Filosofía, al igual, que las políticas de autoarchivo y acceso abierto.

Enviar el formato de autorización de publicación (copyright) diligenciado y firmado por cada autor con el manuscrito. Los autores deben garantizar que el artículo es producto de un proceso de investigación original, otorgando el reconocimiento de las ideas, figuras y gráficos de autores que se encuentren dentro del manuscrito, a través de la citación y referencia correspondiente. No se publicaran artículos que presenten plagio.

El autor debe garantizar que el artículo es inédito y no se ha publicado en ningún medio. De igual forma, debe garantizar a través de declaración escrita que no se ha presentado simultáneamente a otras revistas para iniciar el proceso editorial. Debe expresar al comité con anterioridad algún conflicto de intereses o error en el documento.

Referencias

Almeida Júnior, José Benedito. Fundamentos teórico-metodológicos do ensino de filosofia. Educação em Revista, Marília, v. 12, n1, p. 39-50, jan-jun, 2011.

Brasil. Lei 9394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional.

Brasil. Lei 11684 de 2 de junho de 2008. Altera o art. 36 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional, para incluir a Filosofia e a Sociologia como disciplinas obrigatórias nos currículos do ensino médio.

Chizzotti, Antonio. Currículo por competência: ascensão de um novo paradigma curricular. Revista Educação e Filosofia, vol. 26, nº 52, jul./dez. 2012, Uberlândia, EDUFU.

Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação Básica. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Resolução CEB nº 3 de 26 de junho de 1998.

Danelon, Marcio. Ensino de filosofia e currículo: um olhar crítico aos parâmetros curriculares nacionais. Cadernos de História da Educação, Uberlândia, v 09, nº 01, pp. 109-129, jan-jun, 2010.

Deleuze, G; Guatari, F. O que é filosofia? Lisboa: Presença, 1992.

Felício, C.B.F. Didática do ensino de filosofia. Goiânia: UFG.

Giordano, Rosely. Políticas da educação e sistemas filosóficos: a vontade da exclusão. Cadernos CEDES/Centro de Estudos Educação Sociedade. Vol.24, n. 64, p. 249-384, set./dez. 2004. São Paulo: Cortez; Campinas, Cedes.

Gonçalves, Tânia. O ensino de filosofia na rede pública: a proposta curricular do Estado de São Paulo. In: GOTO, Roberto & GALLO, Silvio (orgs) Da filosofia como disciplina. São Paulo: Edições Loyola, 2011.

Goodson, Ivor. Currículo: teoria e história. Petrópolis: Vozes, 1995.

Kohan, Walter & WAKSMAN, Vera. Filosofia para crianças na prática escolar. Petrópolis: Editora Vozes, 2001.p. 85.

Lipman, Matthew e outros. A Filosofia na sala de aula. São Paulo: Nova Alexandria, 1994.

Minas Gerais. Filosofia. Proposta curricular. Belo Horizonte: Secretaria de Estado de Educação, s/d.

Ministério da Educação/Secretaria de Educação Básica. Parâmetros Curriculares Nacionais – Ensino Médio – Ciências Humanas e suas tecnologias. – Brasília, Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2000.

Ministério da Educação/Secretaria de Educação Básica. Ciências Humanas e suas tecnologias. (Orientações Curriculares para o Ensino Médio, volume 3). Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, Brasília, 2008. 133p.

Murcho, D. A natureza da filosofia e seu ensino. Educação. UFSM: Santa Maria, v. 27 - n° 02,2002.

Saviani, D. Da nova LDB ao FUNDEB: por outra política educacional. Campinas-SP: Autores associados, 2007 (Coleção Educação Contemporânea)

Silva, Tomaz Tadeu & MOREIRA, Antonio Flávio. Currículo, cultura e sociedade. São Paulo: Cortez Editora, 1995.

Vasconcellos, Celso dos S. Planejamento: projeto de ensinoaprendizagem e projeto político-pedagógico. 10ª edição. São Paulo: Libertad, 2002

Lipman, Matthew e outros. A Filosofia na sala de aula. São Paulo: Nova Alexandria, 1994.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.