The female education and coeducational schooling proposals (19th-20th centuries): the Catholic church as an educational mediator

La Educación femenina y propuestas coeducativas (siglos XIX/XX): la Iglesia Católica como mediadora educacional

Main Article Content

Abstract

The coeducation of the sexes, long discussed since the late nineteenth century in European countries, has had little impact in Brazil. Under the opposition of the Catholic Church, it was defended by the missionary Protestants arrived in 1870. After consolidating in the Catholic countries, religion was decisive for the educational routes with solid bases in the principles of the Church. Portugal and Spain were faithful representatives of this scenario, which shows the close relationship between education and Catholicism. As regards coeducation, covered in some segments by libertarian principles, it was limited by the conservative force until the twentieth century.

Keywords:

Downloads

Download data is not yet available.

Article Details

Author Biographies (SEE)

Jane Soares Almeida, Universidade de Sorocaba

Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo. Pesquisadora do CNPQ. Líder do GEHE (Grupo de Estudos em História da Educação) da Universidade de Sorocaba. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade de Sorocaba.

Vania Regina Boschetti, Universidade de Sorocaba

Doutora em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo. Pesquisadora do GEHE da Universidade de Sorocaba. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade de Sorocaba.

References (SEE)

Cambi, Franco. História da Pedagogia. São Paulo: Editora UNESP, 1999,146.

Costa Araújo, Helena. Pioneiras na Educação: as professoras primárias na viragem do século: percursos e experiências – 1830-1933. Porto: Coleção Memórias da Educação 8; Instituto de Inovação Educacional, 2000.

Constituición de 1876

Di Pierro, Maria Clara. “Evolução recente da educação de pessoas adultas na Espanha”. Educação & Sociedade, ano XXI, no 233 o 72, (2000): 235.
https://doi.org/10.1590/S0101-73302000000300012

Ferrer y Guardia, Francesc. La escuela moderna, 2005, www.antorcha.net/biblioteca_virtual/pedagogia/escuelamoderna/indice.html. Consultado em (07/06/2010).

G Martins, Manuel. O Estado Novo e a Oposição (1933-1974). Rio de Mouro, Ferreira Ed., 2000.

Hobsbawm, Eric. Sobre História, São Paulo Companhia das Letras, 1998.

Manrique Mayorga, Alfredo. La inspeción educativa – siglo y médio de la inspeción educativa em España 1849-1999. Madrid, Santillana, 2000.

Martins, Manuel G. O Estado Novo e a Oposição (1933-1974). Rio de Mouro, Ferreira Editor, 2000.

Pinto, Teresa. Mulheres, Educação e Relações Sociais de Género: uma perspectiva histórica. http://erte.dge.mec.pt/files/@crie/1220024572_04_SACAUSEF_III_31a46.pdf. (12/10/201.5).

Ribeiro, Edméia. Século XIX, “mulheres, discursos e representações femininas em lãs mujeres españolas, portuguesas y americanas”. En Anais Eletrônicos do X Encontro Internacional da ANPHLAC, São Paulo/2012,6/7

San Román, Sonsoles. Las primeras mestras los Orígenes del processo de feminización docente em España. Barcelona, Ariel Practicum, 1998.

Santos Guerra, Miguel Ángel. Coeducar em la escuela por uma enseñanza no sexista y libertadora. Madrid, Grupo Cultural Zero, 1984.

Saviani, Demerval. História das Ideias Pedagógicas no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2008.

Soares Almeida, Jane. Mulher e educação: a paixão pelo possível. São Paulo, Editora da Unesp, 1988.

Soares Almeida, Jane y Boschetti Vania, Regina. Devotas e Instruídas: a educação de meninas e mulheres no Brasil – fragmentos de um passado histórico (1846-1930). Brasil: Unisinos, set/dez 2012.
https://doi.org/10.4013/edu.2012.163.04

Zamboni, Franco. Contra a escola: Ensaio sobre literatura, ensino e Educação Liberal. Campinas: Vide Editorial, 2016.

Citado por: