Experiência, infância e cuidado de si: desafios aos atuais saberes e práticas escolares

Contenido principal del artículo

Autores

Pedro Angelo Pagni

Resumen

Este artigo aborda o problema da experiência e de suas possíveis linguagens entre os saberes e práticas escolares. Objetivamos encontrar nas categorias filosóficas contemporâneas de acontecimento e de infância, bem como nos gêneros da linguagem poética e do testemunho, as possibilidades de pensar a experiência na práxis educativa. Para tanto, reconstruímos uma genealogia da conversão da práxis educativa em arte pedagógica, em suas relações com a infância, seja como seu objeto de governo, seja como seu sujeito, denunciando os estados de dominação que as constituem e indicando o seu potencial de resistência ao existente. Argumentamos pela tese de que esse acontecimento irrompe na dimensão estética da experiência e concorre para interromper a ordem discursiva, dando o que pensar aos sujeitos da práxis educativa e provocando o cuidado de si como uma atitude ética, que se encontra articulada com uma estética da existência. Assim, esta pesquisa busca restituir a dignidade da experiência entre os saberes e práticas escolares.



Palabras clave:

Detalles del artículo

Licencia

Praxis & Saber is licensed under a https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/

Referencias

Adorno, T.W. (1992). Mínima Morália. São Paulo: Editora Ática.
Agamben, G. (2004). Homo Saccer. Belo Horizonte: Editora UFMG/
Humanitas.
—— (2005). Infância e História: destruição da experiência e origem da
história. Belo Horizonte: Editora UFMG/Humanitas.
Arendt, H. (1996). Entre el pasado y el futuro. Barcelona: Península.
Bárcena Orbe, F (2004). El delirio de las palavras: ensayo para uma poética del comienzo. Barcelona: Heder Editorial.
Benjamin, W. (1986). ‘Experiência e pobreza’. Benjamin, W. Documentos de Cultura, documentos de barbárie: escritos escolhidos. São Paulo: Cultrix.
Foucault, M. (1984). ‘O que é o Iluminismo’. O Dossier. Rio de Janeiro:
Taurus Editora.
—— (2000). ‘O que é crítica?’ (Crítica e Aufklärung). Cadernos da FFC:
Foucault – História e os destinos do pensamento. Vol. 9, Nº 1, 2000, (pp.169-189). Marília: UNESP-Marília publicações.
—— (2004a). ‘A ética do cuidado de si como prática da liberdade’. Ditos & Escritos. Vol. 5, (pp. 264-287). São Paulo: Forense Universitária.
—— (2004b). Hermenêutica do sujeito. São Paulo: Martins Fontes
—— (2004c). El pensamiento del afuera. Valencia: Pre-textos
Larrosa, J. (2004). ‘Algunas notas sobre la experiência y sus lenguajes’.
Barbosa, R.L.L. [Org.]. Trajetórias e perspectivas da formação de
educadores. São Paulo: Editora UNESP.
Lyotard, J.F. (1988). La diferencia. Barcelona: Gedisa.
—— (1997). Lecturas de infancia. Buenos Aires: Editora Universitaria de Buenos Aires.
—— (1999). O inumano: considerações sobre o tempo. [2.ed]. Lisboa:
Editorial Estampa.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.